Triângulo do crime aplicado à segurança privada

Hoje em dia, proteger o patrimônio e as pessoas não passa apenas por técnicas e equipamentos. É fundamental antever problemas. E algumas das formas de se fazer isso está presente na teoria do Triângulo do crime aplicado a segurança privada.

A segurança consiste em evitar que perigos e danos coloquem em risco a integridade de pessoas e/ou patrimônio. E partir de um planejamento e estratégias é a maneira mais acertada que uma empresa privada deve proceder.

Dentro dessa parte documental existem teorias que ajudam a fundamentar muitas ações, e entre elas está a teoria do Triângulo do crime aplicado a segurança privada. Entenda o que é a seguir.

O que é a Triângulo do crime aplicado a segurança privada?

Trata-se de um conjunto de regras voltadas a compreender o que leva indivíduos a cometerem uma ação criminosa e outros delitos. Esses fundamentos foram sistematizados por inúmeros especialistas em criminologia.

Logo a principal ideia dessa teoria é se antecipar ao crime. É servir de referência a um gestor ou grupo de segurança, que deseja evitar que delitos aconteçam dentro de seu estabelecimento ou de seus clientes.

Assim sendo é como se tentasse entrar na mente do criminoso, e listar as possíveis motivações que o levam a rouba determinado tipo de loja, ou invadir uma residência. Por ser tarefa tão complicada, o Triângulo do crime aplicado a segurança privada é um vasto campo de observação e estudo.

Na verdade, existem 3 fatores que compõem o triângulo:

  • O infrator;
  • A vítima;
  • Um local ou um encontro para o ato ocorre.

Esses fatores se desdobram em mais 3 elemento para o crime ocorrer: motivação, técnica e oportunidade. Vejamos mais sobre esses termos a seguir.

Como a teoria do triângulo aborda os 3 elementos?

Como vimos, 3 fatores são as pontas que originam o Triângulo do crime aplicado a segurança privada, e que avançam para 3 elementos:

  • Primeiramente a Motivação – também conhecido como indivíduo motivado; trata-se de uma pessoa estimulada pelo meio em que vive, a cometer um crime. Ele quer ter determinado objeto, e algo em seu ambiente o motiva para tal.
  • Em segundo a Técnica – antes de cometer o crime, o indivíduo precisa conhecer os riscos; ele não invadirá uma residência, se souber que existe um cão feroz e não sabe como imobiliza-lo, exemplo. A técnica é também entendida como as habilidades acumuladas pelo indivíduo motivado, e que usa para cometer delitos.
  • Por último a Oportunidade – o roubo só acontece se houver o encontro com a vítima, ou que determinado local não tenha proteção.

A teoria afirma que só existirá um crime, se esses 3 elementos convergirem. E como fazer para “separa-los”?

A teoria do triângulo e as medidas preventivas

Por isso conhecer o Triângulo do crime aplicado a segurança privada é acima de tudo aprender a ser prevenir. E para cada um dos elementos existem uma forma de atuar.

Certamente o individuo motivado é uma questão mais ampla, que precisa do poder do Estado atuando para que pessoas não tenham que cometer crimes.

A medida preventiva ligada a técnica é tornar o acesso a bens valiosos, por exemplo, ainda mais difícil: mais grades, barreiras tecnológicas, etc.

A oportunidade é reduzida quando usamos sistemas de vigilância completos, ou com o trabalho de profissionais de segurança protegendo o local e as pessoas. Para todas essas medidas de proteção, conte com a experiência da Company Segurança e Serviços. Clique aqui para entrar em contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *